7º anos. Profª Luciane Gotardo. História: A Reforma Protestante. Semanas de 16 a 30/04/21.

15/04/2021

Olá querido aluno!! Como você está? Espero que esteja bem para continuarmos nossos estudos por aqui, vamos seguindo nosso aprendizagem dessa forma, confiantes que logo estaremos juntos novamente!! 

Correção das atividades propostas, referente às semanas 01 a 15/04/21.

1)Defina Renascimento e explique suas origens. R: foi um movimento cultural, econômico e político, surgido na Itália no século XIV e se estendeu até o século XVII por toda a Europa.

2)Explique as características do Renascimento. R: Racionalismo - a razão era o único caminho para se chegar ao conhecimento, e que tudo podia ser explicado pela razão e pela ciência.

Cientificismo - para eles, todo conhecimento deveria ser demonstrado através da experiência científica.

Individualismo - o ser humano buscava afirmar a sua própria personalidade, mostrar seus talentos, atingir a fama e satisfazer suas ambições, através da concepção de que o direito individual estava acima do direito coletivo.

Antropocentrismo - colocando o homem como a suprema criação de Deus e como centro do universo. Diferente da ideia teocêntrica (segundo a qual a vida deveria ser guiada pela crença na vontade de Deus, que era considerado o centro do Universo).

Classicismo - os artistas buscam sua inspiração na Antiguidade Clássica greco-romana para fazer suas obras.

O Humanismo renascentista. O humanismo foi um movimento de glorificação do homem e da natureza humana, que surgiu na nas cidades da Península Itálica em meados do século XIV

3)Comento sobre os principais artistas do Renascimento. R: Leonardo da Vinci: Matemático, físico, anatomista, inventor, arquiteto, escultor e pintor, ele foi o esteriótipo do homem renascentista que domina várias ciências. Por isso, é considerado um gênio absoluto. A Mona Lisa e A Última Ceia são suas obras primas. Michelangelo: artista italiano cuja obra foi marcada pelo humanismo. Além de pintor foi um dos maiores escultores do Renascimento. Entre suas obras destacam-se a Pietá, David, A Criação de Adão e O Juízo Final. Também foi o responsável por pintar o teto da Capela Sistina.

4)Fale sobre um artista literário do Renascimento. R: Resposta pessoal.

Atividades do livro didático, no capítulo 3.

Leitura das páginas 34 a 44 e depois faça as atividades da página 46- 1, 3, 4 e 6 (se conseguir).

Resposta: 1 - Porque queriam fazer "nascer de novo" a Antiguidade clássica. De acordo com essa ideia, a cultura greco-romana teria desaparecido na Idade Média, visto como um período de obscurantismo, atraso e fervor religioso. Hoje se sabe que a Idade Média não foi um período de estagnação.

Resposta 3 - a) A visão de mundo da sociedade medieval baseava-se no teocentrismo. Já o antropocentrismo era uma forma de pensamento que colocava o ser humano no centro do Universo e enfatizava sua capacidade de agir, pensar e criar. Por isso, o antropocentrismo se contrapunha ao pensamento medieval.

b) Porque estão diretamente relacionados ao antropocentrismo.

c) De certa forma sim, pois os humanistas questionavam o papel da religião cristã na sociedade. É necessário lembrar, porém, que os humanistas não eram ateus, embora defendessem a busca da verdade por meio da investigação e da reflexão racional.

Resposta 4 - Não. Os renascentistas não fizeram uma cópia da arte do mundo clássico, mas criaram uma nova expressão artística, que fundiu a cultura greco-romana e a religiosidade cristã.

Resposta 6 - a) Galileu representa o pensamento humanista, e o papa, o pensamento da Igreja católica.

b - As teorias de Galileu são exemplos das transformações científicas e culturais ocorridas entre os séculos XV e XVI, que valorizavam a capacidade de ação e de criação do ser humano.

c - O Tribunal do Santo Ofício, também chamado de Inquisição.

A Reforma Protestante.

Reforma Protestante foi um movimento reformista cristão do século XVI liderado por Martinho Lutero, simbolizado pela publicação de suas 95 Teses em 31 de outubro de 1517 na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg.

Origem da Reforma Protestante.

O processo de centralização monárquica que dominava a Europa desde o final da Idade Média, tornou tensa a relação entre reis e Igreja. A Igreja, possuidora de grandes extensões de terra, recebia tributos feudais controlados em Roma pelo Papa. Com o fortalecimento do Estado Nacional Absolutista, essa prática passou a ser questionada pelos monarcas que desejavam reter estes impostos no reino. Parte dos camponeses também estava descontente com a Igreja, pois eles também lhe deveriam pagar taxas, como o dízimo. A Igreja condenava as práticas capitalistas nascentes, entre elas a "usura" (a cobrança de juros por empréstimos, considerada pecado; e defendia a comercialização a "justo preço", sem lucro abusivo). No entanto, a desmoralização do clero, que apesar de condenar a usura e desconfiar do lucro, veio com a prática do comércio de bens eclesiásticos. O clero fazia uso da sua autoridade para obter privilégios e a venda de cargos da Igreja, muitos sacerdotes tinham esposas, apesar do celibato obrigatório. O maior escândalo foi a venda indiscriminada de indulgências, isto é, a remissão dos pecados em troca de pagamento em dinheiro a religiosos.

A Reforma de Lutero

A Reforma Protestante foi iniciada por Martinho Lutero (1483-1546), monge agostiniano alemão, e professor da Universidade de Witenberg. Crítico, negava algumas práticas apregoadas pela Igreja. Em 1517, revoltado com a venda de indulgências, Lutero escreveu em documento com 95 pontos criticando a Igreja e o próprio papa. Estas 95 teses teriam sido pregadas na porta de uma igreja a fim de que seus alunos lessem e se preparassem para um debate em classe. No entanto, alguns estudantes resolveram imprimi-las e lê-las para a população, espalhando assim, as censuras à Igreja Católica.

Em 1520, o papa Leão X redigiu uma bula condenando Lutero e exigindo sua retratação. Lutero queimou a bula em público o que agravou a situação, na qual o monge foi considerado herege. No entanto, Lutero foi acolhido por parte da nobreza alemã, que simpatizava com suas ideias e refugiou-se no castelo de Wartburg. Ali, se dedicou à tradução da Bíblia do latim para o alemão, e a desenvolver os princípios da nova religião.

Calvinismo e Reforma Protestante.

A revolta e os ideais de Lutero se espalharam pelo continente europeu. Em cada região, o Luteranismo assumiu características diferentes, pois muitos religiosos passaram a estudar os escritos de Lutero e propor a renovação da Igreja. Por outro lado, na França e na Holanda, os princípios de Lutero foram ampliados por João Calvino (1509-1564). Pertencente à burguesia e influenciado pelo Humanismo e pelas teses luteranas, Calvino converteu-se em ardente defensor das novas ideias.

Escreveu a "Instituição da religião cristã", que veio a ser o catecismo dos calvinistas. Perseguido, refugiou-se em Genebra, na Suíça, onde a Reforma havia sido adotada. Determinou que não houvesse nenhuma imagem nas igrejas, nem sacerdotes paramentados. A Bíblia era a base da religião, não sendo necessária sequer a existência de um clero regular. Para Calvino, a salvação não dependia dos fiéis e sim de Deus, que escolhe as pessoas que deverão ser salvas (doutrina da predestinação).

O Calvinismo expandiu-se rapidamente por toda a Europa, mais do que o luteranismo. Atingiu os Países Baixos e a Dinamarca, além da Escócia, cujos seguidores foram chamados de presbiterianos; na França, huguenotes; e na Inglaterra, puritanos.

A Igreja Anglicana. A Reforma Religiosa na Inglaterra ocorreu a partir da iniciativa de um rei, e não de teólogos críticos às doutrinas e práticas do clero católico. O motivo que levou o soberano inglês Henrique VIII a se desligar da Igreja de Roma foi a não aceitação de seu pedido de divórcio enviado ao papa Clemente VI. Henrique VIII era casado com Catarina de Aragão, nobre de origem espanhola. O motivo do pedido seria o fato de sua esposa não lhe dar um filho homem, situação que impossibilitava ao sobreano inglês deixar em seu lugar no trono da Inglaterra um descendente seu. Dos seis filhos de Catarina, apenas a princesa Maria sobreviveu. O interesse de Henrique VIII era casar com Ana Bolena, uma dama da corte da Inglaterra, e com ela poder ter um filho que o sucederia. Como não foi aceito o pedido pelo papa, o rei inglês declarou seu divórcio da rainha através de um tribunal nacional, em 1533. Um ano depois, Henrique VIII foi excomungado por Clemente VI. Após Henrique VIII ser excomungado, foi decretado na Inglaterra o Ato de Supremacia, pelo qual o soberano inglês passava a ser o chefe supremo da Igreja da Inglaterra. Com essa medida, era criada a chamada Igreja Anglicana. O rei inglês passava a ter o poder de nomear os ocupantes dos cargos eclesiásticos, além de decidir sobre assuntos de ordem religiosa.

Atividades Propostas:

1) O que foi a Reforma Protestante?

2) Quem foi Martinho Lutero?

3) Quem foi João Calvino?

4) Comente o surgimento da Igreja Anglicana.

Após ler com atenção todo esse conteúdo, no Blog e também no livro didático nas páginas 47 a 50, faça as atividades da página 55, 1, 2 e 3. Faça com dedicação e capricho. Bons estudos!!!