7º anos. Profª Luciane Gotardo. História: Colonização do Brasil - Outubro 2021.

07/10/2021

Olá queridos alunos!! Tudo bem? Espero que estejam bem e focados para finalizarmos mais um ano letivo, sendo assim vamos estudar um pouco da História do Brasil - Colonização portuguesa na América.

Conteúdo de História referente ao mês de OUTUBRO de 2021. Colonização do Brasil

A colonização portuguesa no Brasil começou em 1530, apesar dele ter sido descoberto em 22 de abril de 1500, e se estendeu até 1822. O território foi povoado, defendido e explorado. A colonização portuguesa no Brasil teve como principais características:civilizar, exterminar, explorar, povoar, conquistar e dominar.

A Coroa portuguesa, quando empreendeu o financiamento das navegações marítimas portuguesas no século XV, tinha como principal objetivo a expansão comercial e a busca de produtos para comercializar na Europa (obtenção do lucro), mas não podemos negligenciar outros motivos não menos importantes como a expansão do cristianismo (Catolicismo), o caráter aventureiro das navegações, a tentativa de superar os perigos do mar (perigos reais e imaginários) e a expansão territorial portuguesa (territórios além-mar).

No ano de 1500, os primeiros portugueses chegaram ao chamado "Novo Mundo" (América), e com eles o navegador Pedro Álvares Cabral desembarcou no litoral do novo território. Logo, os primeiros europeus tomaram posse das terras e tiveram os primeiros contatos com os indígenas denominados pelos portugueses de "selvagens".

Entre 1500 a 1530, os portugueses efetivaram poucos empreendimentos no novo território conquistado, algumas expedições chegaram, como a de 1501, chefiada por Gaspar de Lemos e a expedição de Gonçalo Coelho de 1503, as principais realizações dessas expedições foram: nomear algumas localidades no litoral, confirmar a existência do pau-brasil e construir algumas feitorias.

Administração Colonial no Brasil

O período da colonização se estende de 1530 a 1822. A primeira expedição colonizadora chefiada por Martim Afonso de Sousa se deu em 1532. Foi ele quem fundou o primeiro núcleo de povoamento, a Vila de São Vicente. Martim Afonso de Sousa, em 1532 combateu os piratas franceses e instalou em São Vicente a primeira povoação dotada de um engenho para produção de açúcar.

 Fundação de São Vicente, a primeira vila do Brasil, por Marfim Afonso de Sousa. Na gravura aparece João Ramalho que, além de colaborar na fundação de São Vicente, ajudou também na fundação de São Paulo.

A colonização do Brasil e a cana-de-açúcar.

As primeiras experiências portuguesas de plantio e cultivo da cana-de-açúcar e o processamento do açúcar nos engenhos aconteceram primeiramente na Ilha da Madeira (situada no Oceano Atlântico). Em razão da grande procura e do alto valor agregado a este produto na Europa, os portugueses levaram a cultura da cana-de-açúcar para o Brasil (em virtude da grande quantidade de terras, da fácil adaptação ao clima brasileiro e das novas técnicas de cultivo), desenvolvendo os primeiros engenhos no litoral paulista e no litoral do nordeste (atual estado de Pernambuco), a produção do açúcar se tornou um negócio rentável. Para desenvolver a produção do açúcar, os portugueses utilizaram nos engenhos a mão de obra escrava, os primeiros a serem escravizados foram os indígenas, posteriormente foi utilizada a mão de obra escrava africana, o tráfico negreiro neste período se tornou um atrativo empreendimento juntamente com os engenhos de açúcar.

As estruturas de poder no início da colonização

Em 1532, o rei dom João III decidiu aplicar na colônia da América uma divisão administrativa que havia dado bons resultados nos Açores e na ilha da Madeira: o sistema de capitanias hereditárias.

 Quase duas décadas depois, criou-se um poder central, o governo-geral, e, no âmbito local, foram instituídas as câmaras municipais, semelhantes às já existentes em Portugal

Com o planejamento das estruturas político-administrativas da colônia, a Coroa portuguesa buscava viabilizar o processo de ocupação do território e criar condições para o desenvolvimento de atividades econômicas rentáveis, de acordo com o modelo de mercantilismo europeu. Para tanto, resolveu adotar na colônia os padrões administrativos da metrópole, aliados à experiência portuguesa nas ilhas do Atlântico.

As capitanias hereditárias

As capitanias hereditárias eram enormes faixas de terra que se limitavam a leste com o oceano Atlântico e a oeste com a linha de Tordesilhas. Essas terras foram doadas pelo rei a militares, burocratas e comerciantes portugueses, que receberam o título de "capitães donatários". Para formalizar seus direitos e deveres, o governo português lançou mão de dois documentos: a Carta de Doação e o Foral.

 O governo-geral tornou-se o centro político da administração portuguesa na América. Sua legitimidade foi estabelecida pelo Regimento de Tomé de Sousa, de 1548, que determinava as funções administrativas, judiciais, militares e tributárias do governador-geral. Para assessorá-lo, havia três altos funcionários: o ouvidor-mor, responsável pela justiça; o provedor-mor, encarregado da tributação; e o capitão-mor, responsável pela defesa.  

 O Governo-Geral foi um modelo administrativo implantado por Portugal no Brasil em 1548. Com a criação do Governo-Geral, o rei de Portugal ordenou a construção de uma nova capital para o Brasil: Salvador. O Governo-Geral foi criado por Portugal em 1548 com o objetivo de centralizar ainda mais a administração colonial.

Tomé de Sousa (1549-1553): durante seu governo foi fundada a cidade de São Salvador, que se tomou sede do governo-geral e capital da colônia. A Bahia passou a ser a Capitania Real do Brasil. Foram estabelecidos o primeiro bispado e o primeiro colégio da colônia. Na imagem ao lado, a representação de Tomé de Sousa desembarcando na Terra de Santa Cruz, de autor anônimo.

Duarte da Costa (1553-1558): enfrentou grande instabilidade política, causada, entre outros fatores, pela invasão francesa do Rio de Janeiro (1555); entrou em atrito com o bispo do Brasil, Pero Fernandes Sardinha, que criticava o comportamento e a violência de seu filho, dom Álvaro da Costa. Um dos marcos de seu governo foi a fundação do Colégio de São Paulo, em 25 de janeiro de 1554. O colégio, fundado pelos jesuítas Manuel da Nóbrega e José de Anchieta, deu origem à cidade de São Paulo.

Mem de Sá (1558-1572): fundou a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro em 1565; juntamente com seu sobrinho, Estácio de Sá, expulsou os franceses do Rio de Janeiro. É considerado o melhor governador-geral do século XVI.

As câmaras municipais representavam os interesses dos proprietários locais. Esse poder, delegado pelos senhores de engenho aos vereadores (membros eleitos daCâmara), às vezes entrava em conflito com o poder central, representado pelo governador-geral. Exemplo disso foi a Câmara de Olinda, na capitania de Pernambuco, que em 1710 chegou a comandar uma luta armada contra as tropas do governo porque se opunha à elevação do Recife à condição de vila.

Atividades propostas:

O período colonial no Brasil teve início em:

a) 1530
b) 1500
c) 1600
d) 1589

No período pré-colonial a atividade econômica que teve maior destaque foi:

a) pau-brasil
b) mineração
c) cana-de-açúcar
d) café
A primeira capital do Brasil foi:

a) São Paulo
b) Rio de Janeiro
c) Salvador
d) São Luís
e) Brasília

O Tratado de Tordesilhas foi um acordo entre:

a) Brasil e Portugal
b) França e Portugal
c) Portugal e Inglaterra
d) Inglaterra e França
e) Portugal e Espanha

Em 1534, a Coroa portuguesa dividiu o território em 15 partes que ficaram conhecidos como:

a) governos gerais
b) Tratado de Tordesilhas
c) capitanias hereditárias
d) Tratado de donatários
e) Sesmarias

Grande abraço! Até breve. Profª Luciane.