8º ano. Profª Luciane Gotardo. História: Independência dos Estados Unidos. (semana 07/06 a 20/06/21).

07/06/2021

Olá queridos alunos! Hj iniciamos uma nova etapa do nosso ano letivo. Partimos para o segundo trimestre, vamos seguindo com força e fé, que logo voltaremos a nos encontrar na nossa sala de aula. Vamos conhecer o processo de independência dos Estados Unidos da América. Vamos lá? 

Correção das atividades sobre Iluminismo referente as semanas de 20/05 a 06/06/21.

1)Tente explicar resumidamente por que o século XVIII acabou sendo conhecido como o "Século das Luzes"? Porque trouxe a racionalidade para a sociedade, mobilizou com o poder da razão deixando de lado a fé, na época em que era movida pela fé, pela igreja e o iluminismo trouxe uma ideia oposta, colocando a racionalidade acima da fé, e alegando que a fé atrasa a evolução do homem, o iluminismo foi conhecido como século das luzes porque realmente iluminou a sociedade para essas questões, principalmente de racionalidade x fé.

2)Cite o nome de três pensadores do iluminismo. Voltaire (1694-1778), Diderot (1713-1784), Rousseau (1712-1778) e John Locke (1632-1704).

3)d) iluminada pelo uso da razão.

4)b) o despotismo dos reis absolutistas.
5)c) Razão
6) b) Instituição dos Três Poderes
Atividades do livro didático: leitura das páginas 44 a 51, na página 55, copiar e responder as questões: 1, 2 e 3.

Respostas, página 55, número 1) A sociedade do Antigo Regime era estamental e a posição social das pessoas era determinada pela sua origem. Os iluministas eram contrários aos privilégios da nobreza e defendiam que a riqueza deveria ser decorrência do trabalho, e não de privilégios.

2) Os teóricos liberais defendiam o fim da intervenção do Estado na economia. A doutrina liberal é a base dos Estados modernos atuais.

3) No plano individual, os iluministas referem-se ao direito que cada pessoa deve ter de expressar seu pensamento, sua religião e suas posições políticas. No plano social, o poder torna-se livre do direito divino, que legitimava o poder dos reis, e passa a originar-se do contrato social entre os cidadãos.

CONTEÚDO DO PERÍODO DE 07/06 a 20/06/21. Independência dos Estados Unidos. 

 A Independência dos Estados Unidos, também chamada de Revolução Americana, foi declarada no dia 4 de julho de 1776. A partir deste momento, a Inglaterra deixou de comandar os destinos dos americanos. Inicialmente, de 1776 a 1787, os Estados Unidos ficaram sob o regime de Confederação, onde não havia um governo central e cada estado era soberano. Posteriormente, em 1787, foi promulgada a Constituição, que uniu os territórios sob o regime de república presidencialista.

A nova nação que surgiu foi construída em um modelo republicano e federalista e inspirada pelos ideais iluministas que defendiam as liberdades individuais e o livre comércio, por exemplo. De toda forma, a Independência dos EUA foi encabeçada pela elite colonial, insatisfeita com a forma como a Inglaterra tratava os colonos.

A Independência dos EUA é o modelo de nação desenvolvido pelos norte-americanos no século XVIII, serviram de inspiração para outras nações do continente americano. A República instaurada no Brasil, a partir de 1889, por exemplo, inspirou-se claramente no modelo norte-americano.

Antecedentes da Independência dos Estados Unidos.

 Após a Guerra dos Sete Anos (1756-1763), o Parlamento inglês decidiu aumentar as taxas nas 13 Colônias para cobrir os custos do conflito. Os colonos também teriam que arcar com a construção de fortes, manter os soldados deslocados para o território americano e foram proibidos de atravessar os Montes Apalaches. Desta maneira, George Grenville, primeiro-ministro britânico, enviou uma força militar de 10 mil homens, para a América. Um terço das despesas seria abonado com dois novos impostos: a Lei do Açúcar (Sugar Act) e a Lei do Selo (Stamp Act).

A Lei do Açúcar (1764) estabelecia novas taxas alfandegárias sobre grandes quantidades deste produto. No ano seguinte, foi aprovada a Lei do Selo, que obrigava o uso de uma estampa em documentos, livros, jornais, baralhos etc. Esta lei foi tão impopular e aconteceram tantos protestos, que o governo inglês a revogou.

Em 1767, diante de novas taxas sobre vidros, papéis, tintas e a Lei do Chá (Tea Act), que dava o monopólio desse comércio à Companhia das Índias Ocidentais, a crise eclodiu.

Descontentes, os colonos argumentaram que as leis eram ilegais. Afinal, eles faziam parte do Reino, mas não tinham representantes no Parlamento na metrópole. Este sentimento foi resumido no slogan "no taxation without representation" (nenhuma tributação sem representação). A reclamação, contudo, foi ignorada pelos ingleses. Em 1770, ocorreu o Massacre de Boston, uma briga entre colonos e soldados ingleses que terminou com a morte de cinco colonos americanos. O fato rapidamente se tornou em um ato de propaganda contra os ingleses e animou ainda mais os colonos que desejavam a separação da Inglaterra.

Três anos mais tarde, em dezembro de 1773, como protesto pela Lei do Chá, vários colonos invadiram navios que estavam ancorados no porto de Boston e jogaram o carregamento de chá ao mar. O episódio ficou conhecido como "Festa do Chá de Boston". Em represália, em 1774, o governo inglês decretou os Atos Intoleráveis (ou Leis Intoleráveis), que atingiam, especialmente, os habitantes de Massachustes.

Os Atos Intoleráveis fecharam o porto de Boston até ser paga a indenização pelo chá destruído, se proibiram as reuniões, manifestações públicas contra o rei da Inglaterra, entre outros.

Guerra de Independência dos Estados Unidos

Indignados com as Leis Intoleráveis, representantes dos colonos reuniram-se no Primeiro Congresso Continental da Filadélfia, realizado em setembro de 1774. Nele, resolveram enviar ao governo inglês um pedido para que fossem revogados os Atos Intoleráveis. A resposta inglesa foi negativa e ingleses e colonos se enfrentaram nas batalhas de Lexington e Concord.

 Ante as hostilidades, em 1775, os delegados dos estados voltaram a se reunir no Segundo Congresso Continental da Filadélfia onde declararam guerra à Inglaterra.

Nesta mesma ocasião, George Washington foi nomeado comandante das forças americanas e Thomas Jefferson ficou encarregado de redigir a Declaração de Independência. Esta foi aprovada no dia 4 de julho de 1776, colocando fim à dominação da Inglaterra no território americano. Como era de se esperar, a Inglaterra enviou milhares de soldados para recuperar a região e o conflito se estenderia até 1783. Durante a luta pela Independência, os colonos contaram com a ajuda militar da Espanha, Holanda e França. A Inglaterra foi derrotada e reconheceria a independência dos Estados Unidos através do Tratado de Paris, em 1783.

 Consequências da Revolução Americana

A Revolução Americana separou os Estados Unidos da Inglaterra e inspiraria movimentos como a Revolução Francesa e as independências das colônias da América Latina.

Também foi a primeira vez que se colocaram em prática os princípios do Iluminismo, como a separação de poderes, a garantia à liberdade individual e à igualdade social.

Uma vez conquistada a independência, os colonos americanos começaram a expandir-se para o Oeste onde chocariam com os espanhóis, os nativos americanos e a questão da escravidão.

Atividades propostas:

1) Define: Independência dos Estados Unidos.

2) Podemos dizer que a Independência dos Estados Unidos foi influenciada pelas ideias iluministas?

3) Explique qual seria o motivo que daria início a luta pela Independência dos Estados Unidos.

4) Quando a Inglaterra reconheceu a Independência dos Estados Unidos?

5) Quais as consequências da Independência dos Estados Unidos?

Usando o livro didático, faça a leitura das páginas 52 a 54, depois realize as atividades da página 55, números 4, 5 e 6. Para compreender melhor o conteúdo, assista o vídeo https://youtu.be/zzaBKtAE3vw