ARTE 9º A, B, C e D - ARTE - HISTÓRIA DA MODA - PROFESSORA VANESSA - SEMANA DE 21 A 05 DE JULHO

20/06/2021

BOM DIA TURMA, ESPERO QUE TODOS ESTEJAM BEM E ANIMADOS PARA O RETORNO AS AULAS. NESTA QUINZENA VAMOS ESTUDAR "ARTE - HISTÓRIA DA MODA".


ARTE - HISTÓRIA DA MODA

A indústria da moda tem como base as fashion houses de estilistas, que se originaram em 1858 com Charles Frederick Worth, o primeiro designer a costurar sua etiqueta nas roupas que criava. No entanto, a moda como expressão individual teve como pontapé inicial as primeiras vestimentas usadas pelos seres humanos pré-históricos, entre 100 e 500 mil anos atrás. Essas roupas primitivas eram feitas com plantas e peles de animais, mas já manifestavam os gostos e necessidades daquele período.

Na Idade Média, a Inglaterra era considerada o polo fashion da Europa, sendo os vestidos em várias camadas um sinal de riqueza para as mulheres, enquanto os homens vestiam túnicas presas por cintos. Já no século XV, a corte do rei Filipe, duque de Borgonha, tornou-se o centro das atenções da moda europeia. Posteriormente, no Renascimento, o foco mudou para a Itália, retornando depois para a França.

O design das roupas, naquela época, baseava-se essencialmente em moldes impressos, criados principalmente em Paris, que circulavam pela Europa e eram ansiosamente aguardados nas cidades do interior. A partir desse material, os costureiros locais executavam os moldes da melhor maneira possível. Nesse sentido, as revistas de moda, como a Cabinet des Modes (fundada ao final do século XVIII), ajudaram a estabelecer tendências e ditar o que era considerado glamouroso. No início do século XX, as revistas de moda começaram também a incluir fotos, o que as tornou ainda mais influentes, impactando gostos e padrões de beleza.

Nos anos 1910s, os corseletes foram trocados por modelos com cortes retos, graças a estilistas como Paul Poirot (que desenhou o primeiro traje feminino que podia ser vestido sem precisar da ajuda de criados) e Jeanne Paquin (a primeira estilista mulher a fazer história). A Primeira Guerra Mundial também impactou muito a moda global, já que muitas pessoas foram forçadas a adotar estilos mais simples, para cortar custos. A tendência era apostar nos tecidos monocromáticos e em tons mais escuros. 

Na década de 1930s, com a quebra da bolsa de valores (1929) e as enormes perdas econômicas, as vestimentas extravagantes deram lugar a um estilo de se vestir mais conservador - porém, mantendo a sofisticação.

Já nos anos 1940, pós-Segunda Guerra Mundial, uma crescente força de consumo surgiu, tendo como foco os cidadãos comuns. As manufaturas em massa ganharam popularidade e fizeram com que muitas fashion houses parisienses acabassem fechando, já que a maioria das pessoas passou a vestir roupas feitas em fábricas. Como consequência disso, a cena da moda migrou de Paris para Londres e Nova York. As palavras-chave dessa década eram elegância e modernidade. Além disso,materiais considerados revolucionários para a indústria têxtil, como poliéster e nylon, haviam acabado de ser descobertos, possibilitando a produção de roupas mais baratas. Entre os estilistas famosos desse período podem ser citados Pierre Balmain, Christian Dior e Jacques Fath, além de Nina Ricci, Jeanne Lafaurie, Cristobal Balenciaga e Hubert de Givenchy.

A partir de 1960, as roupas unissex, sem muita definição do corpo, estavam entre as maiores tendências. As minissaias surgiram em 1965, principalmente entre jovens de classe média que adquiriam independência financeira. Para os homens, calças mais apertadas e jaquetas com cores brilhantes estavam em voga. Voltados a esse público mais jovem e moderno, surgiram estilistas ousados, como Yves Sait Laurent e Andres Courreges, trazendo temas futuristas e espaciais. O jeans passou a ser aceito como roupa para se usar no dia a dia. Outros designers importantes dessa década foram Mary Quant, Barbara Hulanicki, Pierre Cardin, Emanuel Ungaro, James Galanos, Emilio Pucci e Paco Rabanne.

Já nos anos 1980, o jeans se tornou peça-chave no guarda-roupa de homens e mulheres. Na moda feminina, ternos de alfaiataria com enchimento nos ombros também se tornaram populares, para as profissionais que ganhavam o mercado de trabalho. Nesse período, marcas esportivas despontaram, incluindo Nike, Reebok e Adidas. Astros da música como Madonna, Boy George e Michael Jackson também viraram ícones fashion. Designers que fizeram história nessa década foram Mary Quant, Ossie Clark, Jean Muir, Bill Gibb e Zandra Rhodes.

Os anos 1990 trouxeram muitas mudanças na indústria fashion, sendo a principal delas a substituição do estilo glamouroso por roupas mais minimalistas. Desfiles de moda ganharam destaque e trouxeram a era das super modelos. As tendências se espalharam pelo mundo de maneira mais rápida, por meio da televisão e da internet. Os estilos rocker e grunge adquiriram popularidade, bem como materiais sintéticos (lycra e viscose). Marcas de luxo como Prada e Gucci se tornaram renomadas, assim como os estilistas Michael Kors, Marc Jacobs, Calvin Klein, Gianni Versace, Vivienne Westwood, Thierry Mugler, Claude Montana e Angelo Tarlazzi.

A moda dos anos 2000 foi ditada pela economia e pelo conforto. O estilo streetwear se tornou popular e as marcas passaram a ser mais importantes do que os próprios estilistas. Atualmente, os países mais reconhecidos por lançarem tendências no universo fashion são os Estados Unidos, Inglaterra, França, Japão e Itália. Os consumidores tendem a buscar uma moda rápida e prática, preocupada com questões como ética e sustentabilidade, com roupas que possam ser compradas em plataformas online. Alguns dos mais aclamados designers contemporâneos são Alexander MacQueen, Stella McCartney, Phoebe Philo, Alexander Wang, Marc Jacobs, Tom Ford e Christian Louboutin.

A moda no século XXI

O início do século XXI é marcado por duas tendências: a que "nada se cria, e tudo se copia" e a "moda vem e vai" caracterizada pela moda retro. A moda hoje é despadronizada, diferente da produção em massa dos anos 50, que oferece através de um amplo leque modelos, versões e infinitas escolhas.

Devido à busca por uma identidade própria, as pessoas passaram a criar peças com seu próprio estilo, utilizando- se de materiais alternativos produzindo dessa forma o desenvolvimento sustentável.

CROQUIS: PARA QUE SERVE

O vocábulo "croquis" significa esboço. Trata-se dos primeiros traçados, resumos ou desenhos que são realizados numa pintura ou quaisquer outras produções da criatividade dos humanos. Pode também ser realizado pela escrita. Além disso, tem consideração como etapa inicial de uma obra. É o primeiro passo das ideias de autores.

Croquis são de origem francesa. Apresentaram-se em começo do séc XIX, e significa "esboçar". Pode-se fazer a aplicação deste elemento a diversos ramos, desde a arquitetura até ao ramo de moda. O croque significa "bosquejo ou o ato de desenhar de forma rápida.

Para que Serve Croquis?

Trata- se do primeiro esboço de quaisquer projetos, sejam arquitetônicos ou modernos.

Por isso, um croqui não faz a exigência de precisão grande, cuidados em relação a preservação ou refinamentos gráficos.

O croqui serve para registrar graficamente uma ideia de instantes, por meio de técnicas de desenhos rápidos e sem compromissos. É simplesmente uma forma de não deixar aquela inspiração ir embora.

Croquis Urbanos

Croquis arquitetônicos podem ter traçados abstratos, visto que não há a necessidade de fazer uso de réguas nem um parâmetro específico. Há a necessidade, somente, de apresentar uma noção simples e básica do desenho.

Croquis Masculinos

A estrutura masculina é simples e pode seguir o seguinte traçado para início de desenho:

Croquis Femininos

Em relação à mulheres, há inúmeras possibilidades de criação, principalmente para os croquis da moda.

Muito se engana aquele que acredita que há a necessidade de ser um ótimo desenhista à mão para que se possa fazer a criação de esboços arquitetônicos belíssimos. Há a necessidade, com certeza, de ter noção básica sobre os traços e ter em mente aquilo que se deseja passar para os papeis. Contudo, é muito mais simples do que aparenta ser, seguir com os primeiros passos para tal atividade artística.

FONTE DE PESQUISA PARA ELABORAÇÃO DA TIVIDADE:

https://www.portalsaofrancisco.com.br/historia-geral/historia-da-moda

https://douglasdim.blogspot.com/2011/09/moda.html

https://www.esquemaimoveis.com.br/noticias/evolucao-moda

https://www.decorandominhacasa.com.br/croquis

VÍDEOS:

https://www.youtube.com/watch?v=QHklnsU8ypw

https://www.youtube.com/watch?v=9DlVNz35H6c

https://www.youtube.com/watch?v=AnySgxaH5kA

ARTE - HISTÓRIA DA MODA

QUESTÃO 01- Quem foi o primeiro designer a costurar sua etiqueta nas roupas que criava?

Questão 02-O que é Croqui?

Questão 03-Para que serve Croquis?

Questão 04- Vamos criar um figurino para moda, observe as imagens a baixo e crie o seu:

Feminino:

Masculino:

ATIVIDADE COMPLEMENTAR: LIVRO DE ARTE - SE LIGA NA ARTE 9º ANO

Olá turma, vamos continuar com atividades complementares no livro de arte do Capitulo 2.

Você vai conhecer alguns artistas que fizeram de suas obras ou propostas artísticas disparadores para a reflexões que buscam transformar o modo de pensar e de agir dos indivíduos em suas atividades cotidianas.

Espero todo (as) gostem.

Atividade no livro didático, SOBREVOO: "TRANSFORMAÇÕES COTIDIANAS" da página 28 à 31.

PÁGINAS: LEIA ATENTAMENTE AS PÁGINAS 28 À 31, COPIE AS PERGUNTAS E RESPONDA AS QUESTÕES CONTIDAS NA PÁGINA 28 E SOBRE "MARCEL DUCHAMP E OS READY-MADES" NA PAGINA 31 NO CADERNO DE ARTE. ORIENTO QUE PESQUISEM SOBRE "MARCEL DUCHAMP E OS READY-MADES" É MUITO INTERESSANTE.

Ótima atividade a todos (as).

ASSISTAM AOS VÍDEOS DE APOIO: