ARTE - PROF. ROSIANE

13/03/2021

EMEF"DARCY RIBEIRO" DISCIPLINA: ARTE TURMA: 7ª série PERÍODO: 15/03 À 19 PROF.: ROSIANE

ATIVIDADE SEMANAL

Amácio Mazzaropi

Personagem Jeca Tatu

                             Amácio Mazzaropi (1912-1981) foi um dos maiores mitos do cinema brasileiro. Sua popularidade é imensa até hoje, mesmo tendo falecido há mais de 30 anos. Filho de um italiano com uma portuguesa, nasceu na cidade de São Paulo, mas cresceu em Taubaté, no interior de São Paulo. Gostava muito de circo e desde cedo manifestou a vontade de atuar, contra a vontade de seu pai. Aos 14 anos, fugiu de casa para acompanhar um espetáculo ambulante. Suas maiores influências foram Genésio Arruda - ator, músico e produtor considerado um dos pioneiros da representação caipira - e Cornélio Pires - produtor e principal difusor da música caipira.

Em 1940, criou sua própria companhia, que funcionava em um barracão ambulante, chamado de "Pavilhão Mazzaropi". Em meados da década de 40, estreou no teatro. Este sucesso levou-o à rádio Tupi, onde começou um programa em 1945. Neste programa, ele entrevistava caipiras da grande cidade e alcançou grande popularidade. Com a chegada da televisão ao Brasil, em 1950, ele foi convidado a fazer o programa "Rancho Alegre". Seu humor e carisma conquistavam o público de imediato.

Com a experiência acumulada no circo, teatro, rádio e televisão, Mazzaropi, aos 40 anos, começou a participar de filmes e entendeu que o cinema era o seu melhor meio de expressão, ali ele poderia se valer de todo o seu talento e dialogar com milhões de pessoas.

Em 1958, ele vendeu tudo o que tinha e montou a Produções Amácio Mazzaropi (PAM). A partir daí passa a produzir e distribuir todos os seus filmes. O primeiro filme dessa fase é Chofer de Praça. No ano seguinte ele adapta Monteiro Lobato e filma Jeca Tatu. Logo depois, As Aventuras de Pedro Malazartes.

Mazzaropi compreendeu como ninguém todo o processo de produção/distribuição e exibição do cinema. Sua empresa - a PAM - investiu na infraestrutura da indústria cinematográfica brasileira, adquiriu todos os equipamentos necessários, construindo um estúdio em sua fazenda, na cidade de Taubaté.

Ao contrário de todos os outros cineastas nacionais, Mazzaropi tinha poder para escolher a data e a sala em que seus filmes estreavam (quase sempre no feriado do aniversário de São Paulo, 25 de janeiro). As pessoas já esperavam sua estreia anual, lotando as salas, com público muito superior aos grandes sucessos de Hollywood.

Desde que montou sua produtora e seu estúdio, Mazzaropi realizou 24 filmes, praticamente um por ano, todos com sucesso incrível. Mas a crítica de cinema não compreendia seu sucesso, pois os filmes eram muito simples, baratos, com roteiro muito elementar.

Mazzaropi confunde-se com o personagem Jeca Tatu de 1959, ele fez uma adaptação para o cinema, do personagem preguiçoso e inútil criado pelo escritor Monteiro Lobato na obra Urupês (1918). O Jeca de Mazzaropi mantém o personagem caipira de calças curtas, paletó apertado, camisa xadrez e botinas de Lobato, porém trouxe paras as telas de cinema, um contador de causos bem mais engraçado, esperto e malicioso do que o original de Lobato. A identificação das classes populares com o caipira de Mazzaropi fez de seus filmes um verdadeiro sucesso.

Fonte: Instituto Claro. https://www.institutoclaro.org.br/educacao/nossas-novidades/opiniao/voce-sabe-quem-foi- mazzaropi/.

ATIVIDADE 1:

O personagem Jeca Tatu, trazido por Mazzaropi para as telas de cinema, era um caipira contador de causo. Você sabe o que é um causo? Pois aqui está o seu desafio, você vai pesquisar, descobrir e registrar o que é um CAUSO. E conte um causo.