ARTE - PROFESSORA ALINE - VESPERTINO - ARTE NO COTIDIANO - SEMANA DE 01/04 A 15/04.

01/04/2021

Boa tarde meus queridos! Em nossa aula de hoje, vamos iniciar com a correção das atividades anteriores e em seguida vamos viajar com a ajuda do nosso livro didático por diversos tipos de arte presentes no nosso cotidiano.  

Correção da atividades (18 a 31/03):

Atividade do Blog : 

1) Você já sentiu a necessidade de procurar a si mesmo? Por que motivo? (Resposta pessoal)

2) O que muda em cada um dos autorretratos? No seu ponto de vista, por que a artista escolheu retratar-se assim e se representar tantas vezes em um mesmo cartaz? (Resposta pessoal) - A expressão dos retratos é a mesma, mas a caracterização muda. A mudança pode ser mais que estética, simbolizando estados de espírito de uma pessoa. Ou, então, trata-se de um modo de representar muitas mulheres, através da própria imagem da artista. Incentive os estudantes a seguir caminhos diversos de interpretação.

3) A que tipo de cartaz essa obra remete? (Resposta Pessoal) - Remete ao estereótipo de cartazes policiais em filmes e desenhos animados.

4) O que você imagina que seria possível encontrar em uma busca de si mesmo? (Resposta pessoal)

Atividades do livro didático: 

Pág. 95 a 100 : Todas as respostas são pessoais

ATIVIDADES PROPOSTAS PARA O PERÍODO DE 01/04 A 15/04

SOBREVOO - Arte no cotidiano

ARTE NAIF

Estilo de arte produzido, geralmente, por artistas autodidatas, ou seja, pessoas que não cursaram estudos formais em Arte. A obra de arte naïf (da palavra francesa "naïf ", que significa "ingênuo") é produzida geralmente com o uso de técnicas de representação pouco elaboradas. Os artistas costumam representar os locais onde moram, fatos da atualidade, festas e tradições populares, dentre outras temáticas.

1- Observe a imagem acima. O que chama a sua atenção? Anote em seu caderno. 

Trata-se de uma pintura naïf de Helena Coelho (1949-), artista carioca, que começou a pintar aos 40 anos e que retrata o cotidiano em muitas de suas obras. 

2 - Agora feche os olhos e tente se recordar dos objetos de sua casa; procure se lembrar de cada detalhe. Como são as paredes, o piso, os móveis etc.? Você sempre morou nela?  

Desde muito cedo, nossa visão começa a ser treinada no lugar onde nascemos e crescemos, o que contribui para a formação de nossas referências visuais. E são exatamente essas referências que nos influenciam na hora de escolher uma cor em vez de outra, a preferir um tipo de organização a outro, a se identificar com uma imagem ou outra e assim por diante. E isso continua em constante transformação, já que convivemos com muitas imagens da nossa casa, do nosso bairro, da cidade ou da natureza ao redor. 

E o mesmo acontece com os sons da casa, que estão presentes em nossas vidas há tanto tempo que nem sabemos de onde surgiram. 

3 - Você consegue lembrar quais foram as primeiras músicas que ouviu? Talvez alguma canção cantada por pessoas da família ou tocada em um aparelho de som, na televisão ou em uma brincadeira? 

Acontecimentos, imagens, sentimentos e aprendizados da infância nos acompanham ao longo da vida. Leia a letra da música a seguir.

Bola de meia, bola de gude

Há um menino 

há um moleque

morando sempre no meu coração

toda vez que o adulto balança

ele vem pra me dar a mão

Há um passado

no meu presente

um sol bem quente

lá no meu quintal

toda vez que a bruxa me assombra

o menino me dá a mão

E me fala de coisas bonitas

que eu acredito que não deixarão de existir

amizade, palavra, respeito,

caráter, bondade,

alegria e amor

[...]

Esse é um trecho da canção "Bola de meia, bola de gude", de Milton Nascimento (1942-) e Fernando Brant (1946-2015). Na letra, os compositores sugerem que, mesmo sendo um adulto, há um menino morando em seu coração, e que há momentos do passado que acompanham o seu presente. O que você acha disso? Há algo de sua infância que você deseja que, de alguma maneira, fique para sempre com você?

4- Observe a imagem acima. Você esperaria encontrar um carrossel em uma exposição de arte? Resposta pessoal.

Muitos artistas, em algum momento de suas carreiras, produzem obras que remetem à infância. Um artista de Santo Antônio de Jesus (BA), conhecido como Marepe (1970-), fez de sua infância e de sua cidade natal inspirações para toda a sua obra. Bacias de metal, potes de plástico, barracas de feira, algodão-doce, filtros de barro etc., tudo isso já esteve em alguma criação artística dele. A imagem é da obra Veja meu bem (2007), que foi exposta no Tate Modern, um museu britânico de arte moderna.

Brincadeiras, dança e música

Da mesma forma que a casa onde crescemos colabora para a formação de nossa percepção e visão de mundo, as brincadeiras também contribuem nessa formação. Os desenhos que fazemos livremente, o faz de conta que nasce da fantasia, as danças que fazemos ou os sons que cantarolamos formam e conformam o nosso repertório de arte. Pense nos movimentos que desenvolve completamente solto, nas brincadeiras de girar até ficar tonto, nas vezes em que caminha e aparece uma linha contínua pela qual vai se equilibrando ou quando decide que vai pisar somente em um quadrado e não em outro. Existem muitas brincadeiras de dança com jogos de imitação, como siga o mestre, e outras que são brincadeiras com dança, como jogo de estátua, dança das cadeiras e tantas quantas você e seus colegas conheçam e possam brincar.

As brincadeiras também são tema de uma música da rapper MC Soffia (2004-), que canta desde os seis anos e manifesta seu pensamento sobre diversos assuntos.

5- Escute a música "Brincadeira de menina", de MC Soffia, na faixa 1 do CD e leia a letra a seguir.

Brincadeira de menina

Dizem que menina não empina pipa no sol

Quem criou a regra que ela não joga futebol?

Que negócio é esse, brincadeira de menina?

As minas fazem tudo, até mandar umas rimas

De menino, de menina, ah

Vamos brincar

Somos crianças, temos que aproveitar

Bom, bom, bom, bom, bom

Ser criança é muito bom

Pra guardar no coração

Bom, bom, bom, bom, bom

Ser criança é muito bom

Pra guardar no coração

Bom, bom, bom, bom, bom

Ser criança é muito bom

Pra guardar no coração

Bom, bom, bom, bom, bom

Ser criança é muito bom

Esconde-esconde, peteca, bolinha de gude e pega-pega

Menino e menina podem brincar de boneca

Hey, hey, hey, ho, ho, ho

Olha lá, a menininha fazendo um monte de gol

Quanta brincadeira, quem diria, sem preocupação

O negócio é alegria e diversão

Vamos aproveitar esse lindo momento

Depois que você cresce

Não volta mais o tempo, é

[...]

6- Quando compôs essa música, MC Soffia tinha uma idade semelhante à sua hoje. Quais dessas brincadeiras você conhece e fazem parte da sua vida? Quais são suas outras opções de diversão? Além da brincadeira, sobre o que mais fala a canção?

MC Soffia fala das brincadeiras de rua, aquelas nas quais as regras são criadas por quem brinca, e em que o espaço da cidade é o lugar do jogo.

Um espaço para a imaginação

Você já imaginou ser diferente de quem você é? O que você gostaria de brincar de ser? Feche os olhos e experimente! Para onde sua imaginação leva você? Quais são as ideias que vêm à sua mente? Respostas pessoais.

8 - Observe a imagem acima: quais elementos fazem parte da realidade do quarto e quais parecem ter saído da imaginação? Resposta pessoal. 

No livro Onde vivem os monstros, do escritor e ilustrador estadunidense Maurice Sendak (1928-2012), publicado originalmente em 1963 nos Estados Unidos, o personagem Max, vestido com uma fantasia de lobo, dá livre curso à imaginação. De repente, em seu quarto nasce uma floresta e, logo depois, ele passa a ser visitado por criaturas gigantes e peludas que habitam a sua imaginação e com as quais brinca ao longo da noite. Max se torna o rei dos monstros e ordena que seus súditos façam bagunça. Quando as criaturas, cansadas, tiram um cochilo, Max, sentindo-se sozinho, sente um cheiro delicioso: é a comida preparada por sua mãe. Então, sem nem ao menos se despedir, o garoto viaja de volta ao seu quarto para jantar.

IMAGINAR E CANTAR

Brincar de ser outra coisa e inventar lugares imaginários também pode ser um recurso na criação de músicas, dos mais diversos tipos musicais. As músicas apresentadas a você neste capítulo são todas de um mesmo gênero, chamado de canção. É assim que são denominadas as músicas que têm uma letra, ou seja, um texto para ser cantado. Nelas, as palavras contam histórias e falam de sentimentos. Assim, abrem possibilidades para muitas criações e dão asas também para que a gente se imagine em diferentes situações de vida. Além disso, a canção é provavelmente o tipo de música mais ouvido no cotidiano das pessoas. Um dos mais conhecidos artistas brasileiros é o carioca Chico Buarque de Hollanda (1944-). Além de canções, ele compôs letras e músicas para peças de teatro. Em uma delas, feita para o musical Os Saltimbancos, vários animais imaginam como seriam suas cidades ideais. Leia a seguir alguns trechos dela.

Os Saltimbancos: Obra teatral baseada no conto Os músicos de Bremen, dos Irmãos Grimm. Fala de quatro bichos (o Jumento, a Galinha, a Gata e o Cachorro) que, sentindo- -se explorados por seus donos, resolvem fugir. Nessa fuga, encontram- -se e formam uma banda. Juntos, libertam-se da opressão dos donos e seguem para a cidade, para tentar a sorte como músicos.

9- Faça uma ilustração da música "A cidade ideal" dos Saltimbancos

A cidade ideal

[...]

Cachorro:

A cidade ideal dum cachorro

Tem um poste por metro quadrado

Não tem carro, não corro, não morro

E também nunca fico apertado

Galinha:

A cidade ideal da galinha

Tem as ruas cheias de minhoca

A barriga fica tão quentinha

Que transforma o milho em pipoca

Crianças:

Atenção porque nesta cidade

Corre-se a toda velocidade

E atenção que o negócio está preto

Restaurante está assando galeto

Todos:

Mas não, mas não

O sonho é meu e eu sonho que

Deve ter alamedas verdes

A cidade dos meus amores

E, quem dera, os moradores

E o prefeito e os varredores

Fossem somente crianças

[...]

Deve ter alamedas verdes

A cidade dos meus amores

E, quem dera, os moradores

E o prefeito e os varredores

E os pintores e os vendedores

As senhoras e os senhores

E os guardas e os inspetores

Fossem somente crianças

[...]

Atividades Complementares do livro didático: Estudo do conteúdo e resolução das questões das páginas 12 a 19 do livro didático do aluno. Faça uma ilustração da música "A cidade ideal" dos Saltimbancos. (Pág.19). 

Obs: As atividades do livro didático são as mesmas postadas no blog.