Geografia - 8º ano - Semana 16 à 30/4/2021 - Conteúdo :Aspectos Demográficos - Professora: Íris

15/04/2021

Oláa...... meus amorekos! Como estão todos? Espero que bem e se cuidando.

Segue mais atividades para vocês, qualquer dúvida já sabe, só entrar em contato comigo pelo watzap ou com o professor responsável pela sua turma

Agora vocês estão com o livro didático, certo?

No último capítulo aprendemos sobre Ordem bipolar à geopolítica atual, agora vamos falar sobre Aspectos Demográficos

Segue um link para o apoio: https://www.youtube.com/watch?v=v0l4W4IfroY

MAPA MENTAL DEMOGRÁFICO

ASPECTOS DEMOGRÁFICOS

A Demografia é uma área do conhecimento que estuda a dinâmica das populações sejam elas humanas ou não.

Significa, literalmente, "estudo do povo", pois esta palavra é a junção de "demos" (povo) e "grafia" (escrita, descrição). Também é chamada de "Geografia da População", por se relacionar estreitamente com a Geografia.

Graças a demografia sabemos que a população da Terra é de 7260 bilhões de habitantes e pode chegar a 10 bilhões por volta do ano 2200.

No Brasil, o "Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)" é o encarregado por coletar e analisar os dados demográficos.

Conceito de demografia

A demografia baseia-se em dados estatísticos, para analisar, organizar e fornecer informações sobre a população de um território.

Os dados demográficos permitem um mapeamento das dimensões das estruturas sociais e entender a distribuição dos seres vivos pelo planeta. Igualmente, coleta informações socioculturais, econômicas, étnicas, acerca da sociedade como um todo ou de um grupo específico.

Estudar as populações é essencial para atender às suas necessidades. Através dos dados demográficos é possível saber, por exemplo, quantas escolas devem ser construídas em determinada zona.

Contudo, essas informações são também utilizadas por outros campos do saber com objetivo de aperfeiçoar a atuação do Estado em diversos segmentos sociais.

Mapa demográfico do Brasil, segundo os dados do Censo de 2010 (IBGE) (adaptado).
Mapa demográfico do Brasil, segundo os dados do Censo de 2010 (IBGE) (adaptado).

O mapa acima retrata a densidade populacional no Brasil e também podemos distinguir os limites entre os estados da federação.

No entanto, a informação mais importante está expressa na legenda e nas cores. Em violeta vemos os estados brasileiros que têm a densidade populacional mais alta; e em verde e amarelo, aqueles que possuem uma densidade populacional menor.

Por isso, quanto mais escura for a cor, mais densidade populacional terá este estado. Por outro lado, a cor amarela, indica baixa densidade populacional nesta unidade da federação brasileira.

Origem da demografia

O estudo da demografia se intensificou após explosão demográfica provocada pela Revolução Industrial durante os séculos XVIII e XIX.

No século XVIII, porém, Malthus já havia estudado aspectos sobre o crescimento populacional

e seus perigos para a economia dos países.

No entanto, foi o francês Achille Guillard (1799-1876), com a obra "Elementos de Estatística Humana ou Demografia Comparada" (1855), que usou o termo "demografia" pela primeira vez.

Em termos teóricos, o estudo da demografia se divide em três abordagens:

  • Demografia histórica: análise das informações demográficas ao longo do tempo;
  • Demografia analítica: responsável pela elaboração metodológica e fornecimento de dados;
  • Demografia política: a aplicação dos estudos anteriores em políticas públicas voltadas para o controle populacional e melhorias na qualidade de vida da sociedade.

ATIVIDADE DE FIXAÇÃO:

1) "O processo de envelhecimento nos países desenvolvidos ocorreu muito tempo depois de eles terem adquirido padrões elevados de vida, com redução das desigualdades sociais e econômicas (...). O desenvolvimento social e econômico na América do Norte e Europa Setentrional e Ocidental já estava determinado quando as demandas de uma sociedade que envelhecia (e mesmo as preocupações sobre isso) foram reconhecidas (...).

Nenhum país na América Latina apresenta uma história e um contexto institucional similares. Ao contrário: em quase todos os países, um processo de envelhecimento altamente comprimido começa a ocorrer no meio de economias frágeis e níveis crescentes de pobreza (...)".

(Adaptado de: LEBRÃO, M. L. O envelhecimento no Brasil: aspectos da transição demográfica e epidemiológica. Saúde Coletiva, vol. 4, nº 017. São Paulo: Editorial Bolina, 2007. p.137).

Diante das considerações acima mencionadas, pode-se concluir que

a) há um processo generalizado de envelhecimento populacional em todo o mundo, o que é explicado pela explosão demográfica vivenciada atualmente pela maioria dos países.

b) a transição demográfica não representa um avanço das sociedades se não for acompanhada por uma política de distribuição de renda e democratização das estruturas sociais.

c) a queda das taxas de natalidade vem se tornando um problema para os países subdesenvolvidos, que atingem os mais altos índices de envelhecimento populacional.

d) ao contrário da América do Norte e da Europa, a América Latina apresenta um envelhecimento médio de sua população, acentuado pelas fragilidades de suas economias e níveis de renda.

2) "(...) o processo de ocupação espacial da população brasileira, nos últimos 56 anos, foi pautado por uma desruralização e pela concentração da população nas áreas urbanas. Esse fenômeno não se deu de forma homogênea no espaço nacional. As diferenças regionais estão fortemente associadas às diferenças nos timings em que os fenômenos ocorreram em cada região, os quais, por sua vez, decorreram das especificidades regionais (...)".

(CAMARANO, A. A; BELTRÃO, K. I. Distribuição espacial da população brasileira: mudanças na segunda metade deste século. Rio de Janeiro, IPEA, 2000. p.27).

O fragmento acima descreve alguns pontos da dinâmica demográfica brasileira na segunda metade do século XX. Nesse caso, as expressões desruralização e concentração da população nas áreas urbanas fazem referência, respectivamente,

a) às migrações inter-regionais e à expansão das cidades.

b) ao êxodo rural e às migrações interurbanas.

c) ao êxodo rural e ao processo de metropolização.

d) às migrações internas e ao início da urbanização brasileira.

e) às migrações inter-regionais e ao processo de metropolização.

EM RELAÇÃO AO LIVRO DIDÁTICO SEGUE AS PÁGINAS:

LER e ESTUDAR AS PÁGINAS :38 (Aspectos demográficos);

PÁGINA: 39 (População: crescimento e distribuição);

PÁGINA: 40 (Concentração da população nas cidades);

CÓPIAR E RESPONDER NO CADERNO AS SEGUINTES PÁGINAS :42,43 e 47);