Língua Portuguesa - 7º A,B,C e D - Prof. Luís  -  21/06 a 05/07/21

22/06/2021

EMEF "DARCY RIBEIRO"

Aluno(a):__________________________________________ Turma:__________________

Professor: Luís Carlos Damião

Disciplina: Língua Portuguesa

Conteúdo: Verbo - (EF06LP08) Identificar, em texto ou sequência textual, orações como unidades constituídas em torno de um núcleo verbal e períodos como conjunto de orações conectadas.

Bom dia, caríssimos alunos!

Estejam todos bem!

Período de 21/06 a 05/07/21

Nessa semana, continuaremos a estudar o verbo; suas flexões, funções na estrutura da expressão e sua relação significativa na oração.

Portanto, leia com atenção a matéria, ouça o vídeo e faça as atividades propostas.

Leia e copie a matéria no caderno

Tempos e modos verbais

O verbo indica um processo localizado no tempo. Podemos distinguir: presente, pretérito e futuro.

Tempo presente: exprime um fato que ocorre no momento da fala.
Ex.: Estou fazendo exercícios diariamente. Tempo passado: exprime um fato que ocorreu antes do momento da fala.
Ex.: Ontem eu fiz uma série de exercícios. Tempo futuro: exprime um fato que irá ocorrer depois do ato da fala.
Ex.: Daqui a quinze minutos irei para a academia fazer exercícios. O pretérito (ou passado) subdivide-se em:

Pretérito perfeito: indica um fato passado totalmente concluído.
Ex.: Ninguém relatou o seu delírio.• Pretérito imperfeito: indica um processo passado não totalmente concluído, revela o fato em sua duração.
Ex.: Ele conversava muito durante a palestra.• Pretérito mais-que-perfeito: indica um processo passado anterior a outro também passado.
Ex.: "... sempre nos faltara aquele aproveitamento da vida..." (Mário de Andrade)O futuro subdivide-se em:Futuro do presente: indica um fato posterior ao momento em que se fala.
Ex.: Não tenho a intenção de esconder nada, assim que seus pais chegarem contarei o fato ocorrido.• Futuro do pretérito: indica um processo futuro tomado em relação a um fato passado.
Ex.: Ontem você ligou dizendo que viria ao hospital.

Modos verbais
• Modo indicativo: exprime certeza, precisão do falante perante o fato.
Ex.: Eu gosto de chocolate.• Modo subjuntivo: exprime atitude de incerteza, dúvida, imprecisão do falante perante o fato.
Ex.: Espero que você esteja bem.• Modo imperativo: exprime atitude de ordem, solicitação, convite ou conselho.
Exs.: Não cante agora!
Empreste-me 10 reais, por favor.
Venha ao hospital agora, seu amigo vai ser operado.
Não ponha tanto sal, isso pode lhe fazer mal.

https://www.youtube.com/watch?v=t6ye1wMv4Ug

Exibição de vídeo sobre tempo e modo verbal



Atividades

1)- Sobre os modos verbais, está correta a sequência:I - Modo verbal que expressa ideia de certeza, quando um fato é concluído como real;

II -Modo verbal que expressa dúvida, incerteza, quando há poucas possibilidades de concretização da ação verbal;

III - Modo verbal que pode estar na forma afirmativa ou na forma negativa. Expressa ideia de ordem, conselho ou pedido.

a) modo imperativo - modo subjuntivo - modo indicativo.
b) modo imperativo - modo indicativo - modo subjuntivo.
c) modo indicativo - modo subjuntivo - modo imperativo.
d) modo indicativo - modo imperativo - modo subjuntivo.

2)-
Observe a tirinha "Calvin e Haroldo", de Bill Watterson, e julgue as proposições:



Calvin e Haroldo, criação do desenhista americano Bill Watterson.Os verbos também podem ser estudados a partir da análise de tirinhas

I - O verbo "colocou", no primeiro quadrinho, está no pretérito perfeito;

II - A forma verbal "olhando", no segundo quadrinho, está no modo indicativo;

III - A forma verbal "poderia", no segundo quadrinho, está no futuro do pretérito do modo subjuntivo;

IV - A forma verbal "acharmos", no quarto quadrinho, está no futuro do subjuntivo;

V - A forma verbal "fosse", no quarto quadrinho, está no pretérito imperfeito do modo indicativo.

Estão corretas:
a) I e IV.
b) II, III e V.
c) I, IV e V.
d) III e V.


3)- "Com o último trompejo do berrante, engarrafam no curral da estrada-de-ferro o rebanho" (Guimarães Rosa).
A forma verbal "engarrafam" se encontra no tempo:

a) presente do subjuntivo

b imperfeito do indicativo
c) pretérito perfeito do indicativo
d) presente do indicativo

Observe a tirinha de Fernando Gonsales:


Tirinha de Fernando Gonsales, do livro Nem tudo que balança cai. São Paulo: Devir, 2003. p.16

4)Sobre os verbos do primeiro e segundo quadrinhos, "abaixa, enrola, puxa, torce, vira, remexe, pula", estão no modo verbal:

a) modo indicativo / b) modo subjuntivo / c) modo imperativo / d) modo gerúndio.

Leitura e interpretação

ASSALTOS INSÓLITOS

Assalto não tem graça nenhuma, mas alguns, contados depois, até que são engraçados. É igual a certos incidentes de viagem, que, quando acontecem, deixam a gente aborrecidíssimo, mas depois, narrados aos amigos num jantar, passam a ter sabor de anedota.

Uma vez me contaram de um cidadão que foi assaltado em sua casa. Até aí, nada demais. Tem gente que é assaltada na rua, no ônibus, no escritório, até dentro de igrejas e hospitais, mas muitos o são na própria casa. O que não diminui o desconforto da situação.

Pois lá estava o dito-cujo em sua casa, mas vestido em roupa de trabalho, pois resolvera dar uma pintura na garagem e na cozinha. As crianças haviam saído com a mulher para fazer compras e o marido se entregava a essa terapêutica atividade, quando, da garagem, vê adentrar pelo jardim dois indivíduos suspeitos.

Mal teve tempo de tomar uma atitude e já ouvia:

- É um assalto, fica quieto senão leva chumbo.

Ele já se preparava para toda sorte de tragédias quando um dos ladrões pergunta:

- Cadê o patrão?

Num rasgo de criatividade, respondeu:

- Saiu, foi com a família ao mercado, mas já volta.

- Então vamos lá dentro, mostre tudo.

Fingindo-se, então, de empregado de si mesmo, e ao mesmo tempo para livrar sua cara, começou a dizer:

- Se quiserem levar, podem levar tudo, estou me lixando, não gosto desse patrão. Paga mal, é um pão-duro. Por que não levam aquele rádio ali? Olha, se eu fosse vocês, levava aquele som também. Na cozinha tem uma batedeira ótima da patroa. Não querem uns discos? Dinheiro não tem, pois ouvi dizerem que botam tudo no banco, mas ali dentro do armário tem uma porção de caixas de bombons, que o patrão é tarado por bombom.

Os ladrões recolheram tudo o que o falso empregado indicou e saíram apressados.

Daí a pouco chegavam a mulher e os filhos.

Sentado na sala, o marido ria, ria, tanto nervoso quanto aliviado do próprio assalto que ajudara a fazer contra si mesmo.

SANTANA, Affonso Romano. Porta de colégio e outras crônicas. São Paulo: Ática. 1995.

1) O dono da casa livra-se de toda sorte de tragédias, principalmente, porque

(A) aconselha a levar o som.

(B) conta os defeitos do patrão.

(C) mente para os assaltantes.

(D) mostra os objetos da casa.

2) No trecho "e o marido se entregava a essa terapêutica atividade", a expressão destacada substitui

(A) fazer compras.

(B) ir ao mercado.

(C) narrar anedotas.

(D) pintar a casa.

3) É exemplo de linguagem formal, no texto,

(A) "dito-cujo".

(B) "adentrar".

(C) "pão-duro".

(D) "botam".

Leia o texto a seguir:

Há muitos séculos, o homem vem construindo aparelhos para medir o tempo e não lhe deixar perder a hora. Um dos mais antigos foi inventado pelos chineses e consistia em uma corda cheia de nós a intervalos regulares. Colocava-se fogo ao artefato e a duração de algum evento era medida pelo tempo que a corda levava para queimar entre um nó e outro. Não há registros, mas com certeza diziam-se coisas como: "Muito bonito, não? Você está atrasado há mais de três nós!"

JORNAL O ESTADO DE S. PAULO, 28 mai. 1992.

4)A finalidade do texto é

(A) argumentar.

(B) descrever.

(C) informar.

(D) narrar.


Bons estudos!