LÍNGUA PORTUGUESA - Professora Luciana Ucelli - Tuca® - História das línguas; História da língua portuguesa; Variações linguísticas

28/02/2021

Prezados, sejam bem vindos. Estou orgulhosa de trabalhar com vocês este ano. 

Sou a professora Luciana Ucelli-Ramos, mas, se quiserem, podem me chamar pelo meu apelido: Professora Tuca. 

Seu nono ano é um momento muito importante. Faremos revisão do seu ensino fundamental, porque, daqui para a frente, novas experiências virão. É o ano da sua preparação para mudar de escola, para mudar-se para o ensino médio, para ingressar no mercado de trabalho, começar a escolher a profissão... enfim: É um ano de grandes novidades. Espero poder contribuir tanto para com seus estudos quanto para suas vidas. 

Então, vamos começar a trabalhar, ok?!

Por que estudar a disciplina de Língua Portuguesa

A língua portuguesa é o oitavo idioma mais falado no planeta. Além do Brasil, é a língua materna de Portugal, Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, de vários países africanos e da extensa região chinesa de Macau, além de outras populações.

O português é a principal língua oficial do Brasil. Além desta, temos outra língua oficial nacional: a LIBRAS ‑ Língua Brasileira de Sinais, usada por populações surdas.

Como são muitas e muito variadas as populações que falam o português, é natural que haja vários modos de se falar a nossa língua. Sendo assim, foi necessário estabelecer um padrão, para que a língua não se perdesse nas mudanças de uma época a outra, de um lugar para outro e de um público para outro. Por conta disso, surgiu aquilo a que chamamos de norma padrão (erroneamente confundida com norma culta) da língua portuguesa.

Variação linguística

Chamamos de variação linguística o estudo das variações que uma língua sofre no tempo e no espaço.

Norma culta: é a forma da língua empregada pelas camadas mais instruídas da sociedade;

Norma padrão: é a maneira padronizada da língua, considerada correta, estudada na escola e exigida em provas de concurso, por exemplo;

Norma vulgar: Não chega a ser uma norma, mas sim a maneira vulgar, popular, de uso de uma língua. É o que chamamos de linguagem formal.

Oralidade: É a forma da língua normalmente empregada na fala; mais livre do que a norma padrão, não tem limites rigorosos quanto a acerto e erro. Seria o emprego da forma "vulgar" da língua. É o que chamamos de linguagem informal.

Variação geográfica ou espacial: É o conjunto das variações que a língua sofre de uma região para outra, de um lugar para outro.

Variação temporal ou diacrônica: É o conjunto das variações que a língua sofre de uma época para outra.

Variação social e socioleto: são as diferenças notadas nas formas de registro empregadas por diferentes classes sociais ou grupos profissionais.

Gírias: são expressões características de determinados grupos sociais, etários, e são expressões que ressignificam e facilitam a comunicação cotidiana ‑ mas são impróprias à norma padrão da língua. São adequadas em conversas informais e inadequadas numa entrevista de emprego, por exemplo.

Regionalismo: regionalismos são expressões típicas de uma localidade, e, normalmente, não se estendem para além dos limites de uma pequena região. Por exemplo, alguns regionalismos de Guarapari, como "tcho" e "zarreza" não são sequer conhecidos fora desta cidade.

Palavrões: São termos normalmente ligados a sexualidade e comumente usados com o objetivo de causar impacto, ênfase, ofensa ou constrangimento. Muitas vezes são empregados simplesmente como interjeições ou com forma de dar destaque a uma situação ou expressão. Ainda assim, os palavrões são considerados termos grosseiros, chulos, às vezes agressivos, e, por isso, devem ser evitados na maioria dos contextos de comunicação que exijam seriedade.

Preconceito linguístico: Trata-se da discriminação ou humilhação de uma pessoa por causa da sua maneira de se expressar, quer na fala, quer na escrita.

Apresentação da disciplina de estudo da Língua portuguesa: Subdivisões

Morfologia: Estudo da formação e das classes de palavras;

Sintaxe: Estudo das relações das palavras no contexto da frase;

Semântica: Estudo das significações e das construções do significado.

Interpretação de texto: Práticas de compreensão de sentidos contidos em textos verbais e não-verbais; práticas de compreensão das intencionalidades por trás dos discursos; Funções da linguagem.

Estudo do texto: Práticas de produção de texto; compreensão das diferentes formas de construções textuais.

Realize a breve tarefa abaixo como forma de retomar a proximidade com o estudo da língua portuguesa (caso achem os espaços pequenos, respondam no verso ou em uma folha paralela):

1. Responda: Qual a importância de estudar língua portuguesa? ___________________________________________________________________

2. Encontre e cite dois exemplos de:

a) Regionalismos:

b) Gírias:

c) Preconceito linguístico:

d) Oralidade:

3. Dicas do dia: Qual é a forma correta?

a) Seja ou seje?

b) Esteja ou teje?

c) Mussarela ou muçarela?

Tentem encontrar as respostas e, na próxima semana, esclareceremos!

Abraço de boas vindas!

Professora Tuca®